quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Pedrinho ADL pode ter caído em sua própria armadilha


Na sexta-feira eu adicionei no meu site de relacionamentos Facebook o fake Tereza Tereza, assim como sempre faço para saber que tipo de personalidade se esconde por trás do falso perfil. Então, logo de cara o fake Tereza Tereza me informou que possuía uma denúncia grave sobre corrupção envolvendo o vereador. Não alimentei o papo porque não ouço nada de perfis falsos, apenas os observo. Uma hora depois novamente o fake Tereza Tereza fez contato comigo me pedindo atenção e novamente eu o deixei falando sozinho. Hoje, quando eu fui a casa da senhora no bairro do Matadouro, em Barra do Piraí, para ouvir a história da ex-inquilina levada da casa pelo vereador Pedrinho ADL, o fake se traiu quando repetiu as mesmas palavras do vereador contra mim em suas entrevistas concedidas ao jornal A VOZ DO POVO e ao programa Policial do Gato Preto para se defender e me atacar no caso das adoções ilegais de crianças em Barra do Piraí.
Ontem tive que chamar um técnico para analisar meu computador e sites que sofreram ataques nas primeiras horas da manhã.
Leia abaixo a conversa com o fake no site de relacionamentos Facebook.


Idosa quer saber paradeiro da ex-inquilina levada por Pedrinho ADL


Dona Enilce de Souza

Informado sobre um caso complicado envolvendo uma senhora com aproximadamente 70 anos eu segui até Rua João Malheiros Silva, no bairro Matadouro, em Barra do Piraí, onde fui recebido pela moradora Enilce de Souza, de 74 anos, que estava preocupada com notícia não confirmada sobre a morte de uma ex-inquilina.
Dona Enilce me contou que de 2009 a 2011 residiu num pequeno cômodo alugado em sua casa uma senhora chamada Maria Filomena de Souza, com aproximadamente 70 anos, pensionista e que dizia ser ex-moradora de Barra Mansa, há 40 quilômetros de Barra do Piraí.
Segundo familiares que acompanharam minha conversa com Dona Enilce, num certo dia ao final de 2011, ninguém soube precisar quando, o vereador Pedro Fernando de Souza, o Pedrinho ADL (PRB), esteve em sua residência acompanhado de guardas municipais para levar a senhora Maria Filomena para um asilo, que também segundo todos os familiares, Pedrinho ADL tinha informado inicialmente que ficava numa cidade de Minas Gerais, e que, somente depois de um curto espaço de tempo, ele corrigiu a informação revelando que seria em Massambará, distrito de Vassouras.
A família conta que Pedrinho ADL não mostrou qualquer documento para internar Dona Maria Filomena, e que o vereador somente afirmava que possuía o apoio da “promotora” para realizar a internação. Indagados sobre o nome da “promotora” nenhum dos familiares soube dizer.
Dona Enilce também disse que dias após a internação encontrou a certidão de nascimento de Dona Maria Filomena e entregou o documento para o vereador Pedrinho ADL, que indagado à época sobre o estado de saúde da ex-inquilina, disse que ela estava muito bem em Massambará. “Como eu já tinha ido com a Filomena em Barra Mansa para acompanhá-la no dia de seu pagamento, eu estranhei um pouco, mas, o senhor sabe como é? Vereador é uma autoridade”, argumentou Dona Elnice, acrescentando, que ficou ainda mais preocupada quando a família de Dona Maria Filomena apareceu na casa dela para saber sobre seu paradeiro. “Contei a eles a história que estou contando para você”, encerrou, frisando, que sua preocupação agora é porque chegou a notícia não confirmada sobre a morte de Dona Maria Filomena.

SECRETÁRIO DE CIDADANIA E ORDEM PÚBLICA DESCONHECE O CASO
Em contato telefônico com o Secretário de Cidadania e Ordem Pública de Barra do Piraí, Antônio Carlos Elias, fui informado que não existe qualquer registro sobre esse encaminhamento da senhora Maria Filomena de Souza para Massambará, e que a Guarda Municipal não poderia ter feito o transporte porque à época já não possuía mais ambulância. “Nós jamais faríamos qualquer internação sem o conhecimento da família ou sem a devida ordem judicial”, disse Antônio Carlos Elias.

PEDRINHO ADL MANDA SECRETÁRIA ME INFORMAR QUE JÁ RESPONDEU NO SITE DE RELACIONAMENTOS FACEBOOK
Em contato telefônico com o vereador Pedrinho ADL, fui atendido por sua secretária, que após ouvir a história me disse que sua resposta seria dada no site de relacionamentos Facebook.
No site Facebook eu encontrei a resposta, vejam abaixo:

Hoje, 31 de janeiro de 2013, às 17h58, tomei conhecimento em meu gabinete que um determinado blogueiro acompanhado de uma dama que reside no bairro Matadouro foram até a Rua João Malheiros da Silva para buscar informações sobre uma senhora que salvei, digo que salvei porque tenho a convicção que morava "num lugar parecido com chiqueiro", convivendo com ratos, com feridas pelas pernas, e que a vizinhança me chamou para tomar providências, e foi quando acionei a Guarda Municipal na pessoa do Sr. Enock - Guarda Municipal, o qual se dirigiu ao local com o Corpo de Bombeiro com o vereador sub escritor que luta pela causa dos mais humildes, sendo que a mesma foi levada para o Pronto Socorro, e que posteriormente, a Assistente Social da prefeitura a levou para um asilo no Estado de MG.
Não tenho culpa que sou do bem, pois entendam que não irei pagar o mal com o mal, e como uma receita de bolo, envio este salmo para ver se aplaco esses demônios.
Como diabo é traiçoeiro, e Deus atrapalha suas ações, não adianta intenções, querendo alegar que o Estado de MG está sendo beneficiado com crianças e idosos. A verdade tem e deve prevalecer.

Salmos 26

Julga-me, SENHOR, pois tenho andado em minha sinceridade; tenho confiado também no SENHOR; não vacilarei.
Examina-me, SENHOR, e prova-me; esquadrinha os meus rins e o meu coração.
Porque a tua benignidade está diante dos meus olhos; e tenho andado na tua verdade.
Não me tenho assentado com homens vãos, nem converso com os homens dissimulados.
Tenho odiado a congregação de malfeitores; nem me ajunto com os ímpios.
Lavo as minhas mãos na inocência; e assim andarei, SENHOR, ao redor do teu altar.
Para publicar com voz de louvor, e contar todas as tuas maravilhas.
SENHOR, eu tenho amado a habitação da tua casa e o lugar onde permanece a tua glória.
Não apanhes a minha alma com os pecadores, nem a minha vida com os homens sanguinolentos,
Em cujas mãos há malefício, e cuja mão direita está cheia de subornos.
Mas eu ando na minha sinceridade; livra-me e tem piedade de mim.
O meu pé está posto em caminho plano; nas congregações louvarei ao SENHOR.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Clubes e casas noturnas de Barra do Piraí passarão por vistorias na sexta-feira


Por determinação do prefeito Maércio de Almeida (PMDB) todas as casas noturnas e clubes de Barra do Piraí passarão por novas vistorias para verificar suas reais condições de funcionamento. A Defesa Civil e Secretaria de Cidadania e Ordem Pública elaborarão relatórios que serão entregues ao Corpo de Bombeiros local. A ação cumpre determinação do Comando Geral dos Bombeiros do Estado do Rio e será realizada na próxima sexta-feira (01/02), quando todos os estabelecimentos visitados deverão apresentar os documentos necessários para o funcionamento, incluindo todos os equipamentos de segurança. Se alguma necessidade imediata para garantir a segurança dos freqüentadores for solicitada, a casa só será reaberta após nova vistoria.

Quais as finalidades do segredo de justiça?


Nos últimos dias eu me deparei com dois segredos de justiça. O primeiro no dia 15 de janeiro quando vazaram para mim vários documentos sobre a adoção ilegal de crianças em Barra do Piraí, e agora, nesta segunda-feira, quando a imprensa noticiou que o empresário Mauro Hoffmann, um dos proprietários da Boate Kiss, estava sendo processado por estelionato - pasmem! - em segredo de justiça.
Ora, como eu não sou jurista, advogado ou bacharel em Direito, recorri à literatura e fui buscar no Google quais eram as finalidades do segredo de justiça.
Fã incondicional da transparência, logo de cara eu encontrei no site do Superior Tribunal de Justiça a matéria com o título “Segredo de Justiça: até onde pode ir?”. Gostei muito do primeiro parágrafo, leiam:

“A publicidade dos atos processuais é mais do que uma regra, é uma garantia importante para o cidadão, na medida em que permite o controle dos atos judiciais por qualquer indivíduo integrante da sociedade. Ela está prevista na Constituição Federal, em seu artigo 5º, dedicado às garantias individuais, e também tem previsão legal no Código de Processo Civil (CPC), nos artigos 155 e 444.”

Prosseguindo com a interessante leitura eu encontrei as razões para o segredo de justiça, seguem abaixo:

“O segredo de Justiça se baseia em manter sob sigilo processos judiciais ou investigações policiais, que normalmente são públicos, por força de lei ou de decisão judicial. Segundo Esteves Lima, ele deve ocorrer apenas em casos excepcionais, quando se questiona, em juízo, matéria que envolva a intimidade das pessoas ou, ainda, nos casos de sigilos de comunicação, fiscais e de dados, conforme prevê a própria ‘Constituição da República (artigos 5º e 93).
Em tais casos, justifica-se a publicidade restrita aos atores do processo, considerando-se que, em última análise, preserva-se a própria dignidade das partes envolvidas, pois não seria justo que questões pessoais fossem desnudadas ao grande público. Em síntese, o interesse, aí, é, primordialmente, particular, o que torna válido e, mais do que isso, legítimo aplicar a exceção, que é o sigilo processual, em detrimento da regra, que é quase absoluta, da sua ampla publicidade’, afirma o ministro.
No fundo, o legislador resguarda a intimidade do indivíduo e também a integridade da família. Não faz sentido, por exemplo, levar ao conhecimento público toda a intimidade de um casal que enfrenta uma separação litigiosa e/ou disputa a guarda dos filhos. Esse tipo de demanda tem, geralmente, interesse somente para as partes do processo. Ainda que assim não seja, eventual interesse de terceiros fica suplantado pela necessidade de preservar a intimidade dos envolvidos.”

Muito bom! Tudo bem explicado e com razões mais que visíveis e justas! Mas, continuo sem entender alguns segredos de justiça, que, no meu leigo ponto de vista, ao invés de proteger as intimidades ou dados fiscais das vítimas, na prática escondem da sociedade supostos criminosos.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

João Ribeiro Neto lança novo livro em 2013


Depois do sucesso alcançado com seu recém-lançado livro de crônicas “Existe vida após o casamento?”, que possui uma charge minha sobre o autor na contracapa, o amigo escritor e jornalista João Ribeiro Neto lança essa semana sua quarta obra literária.
”A Sociedade sem Máscaras”, seu primeiro trabalho no gênero contos, é um livro polêmico que aguça os sentidos e a imaginação dos leitores. João Ribeiro Neto, que é gaúcho e fã de Nelson Rodrigues, coloca o “dedo na ferida” em contos que pretendem desmistificar e questionar padrões morais, religiosos e éticos, os quais se transformaram, segundo o autor, numa grande máscara da sociedade onde todos se apresentam como politicamente corretos e acima de quaisquer suspeitas quando, de fato, não o são.
No livro são abordados temas como adultério, os enganos do dia a dia e a hipocrisia em casamentos aparentemente sólidos pautados no amor, na religião e na felicidade conjugal.
O livro “A Sociedade sem Máscaras” já está à venda no site da editora: www.clubedeautores.com.br.

Exposição fotográfica relembra antigos carnavais de Piraí


Será aberta às 18 horas de quinta-feira (31/01), a exposição De Outros Carnavais, que relembra os antigos festejos de momo em Piraí. Com visitação gratuita de 2ª a 6ª-feira, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos, das 10h às 15h, na Casa de Cultura - Rua Comendador Sá, 105, Centro, a exposição é composta por fotos do carnaval de 1929 até os dias atuais. Cortejos, blocos de sujo, bailes e foliões famosos como Jonjoca, fazem do acervo cedido pelos moradores de Piraí. Durante o carnaval - 9 a 12 de fevereiro - poderá ser visitada das 14h às 19h.

Conheça e apoie a Casa da Juventude de Barra do Piraí



Na entrevista concedida ao A VOZ DO POVO o conselheiro tutelar afastado do cargo, Arnaldo Feijó, alega, que, como pai não poderia aceitar que uma criança com 4 dias de vida fosse parar na Casa da Juventude, de onde estou chegando agora de um encontro com a presidente Maria Aparecida da Silva. Reparem, que os jornalistas do A VOZ DO POVO grifam importante trecho da fala de Feijó, como se estivessem querendo apoiar o motivo alegado pelo “conselheiro”. Conheça agora a Casa da Juventude, a Caju, como é popularmente tratada em Barra do Piraí.
.
 A Casa da Juventude de Barra do Piraí, a Caju, instituição sem fins lucrativos considerada de utilidade pública nas esferas municipal, estadual e federal, foi fundada em 12 de Junho de 1964 como abrigo para menores num casarão da Avenida Cecília, próximo ao Centro da cidade.
Presidida desde abril do ano passado pela enfermeira aposentada Maria Aparecida da Silva, que tem como vice-presidente a advogada Tânia Maria Pereira Morais, a Caju abriga hoje 20 crianças, dentre elas dois bebes apreendidos pela Vara da Infância e Juventude de Barra do Piraí nas casas dos casais adotivos indicados sem o conhecimento e consentimento da Justiça pelo vereador Pedro Fernando de Souza, vulgo Pedrinho ADL (PRB), e pelo conselheiro tutelar afastado do cargo, Arnaldo Feijó.

Maria Aparecida da Silva - presidente da Caju

Com sede bem cuidada, organizada e bastante ampla, a Caju possui onze funcionários contratados e mais cinco cedidos pela Prefeitura de Barra do Piraí – uma professora, uma psicóloga, uma assistente social e dois para atuarem na área de serviços gerais. A instituição, que possui apoio financeiro somente do Governo Municipal, conta também com doadores e profissionais que atuam como voluntários em várias áreas como medicina e odontologia.
Na administração, além da presidente e vice-presidente, a Caju possui seis diretores e oito conselheiros, também voluntariados e sem quaisquer tipos de remunerações para atuarem na ponta da linha recebendo os menores que a sociedade teima em não enxergar.
Supervisionados pelo Ministério Público e Vara da Infância e Juventude de Barra do Piraí, a administração da Caju segue estritamente a legislação que protege os direitos das crianças e adolescentes abrigados. Sobre as declarações do “conselheiro” envolvido no caso de doações ilegais de crianças, a presidente Maria Aparecida disse: “O conselheiro trouxe várias crianças para cá. Se ele percebeu que a Casa da Juventude não possuía condições de cuidar de menores, porque não nos denunciou no MP?”. Para Maria Aparecida, que é enfermeira aposentada, há uma grande dose de hipocrisia na alegação de Arnaldo Feijó. “Nossa função aqui é cuidar das crianças e não encaminha-las para adoção. Nossa principal meta e fazer com que essas crianças retornem aos seus lares, quando eles existirem. A criança na Casa da Juventude só é adotada por determinação da Justiça e a pedido do Ministério Público”, desabafou a presidente, ressaltando, que assim que os bebês foram apreendidos pela Justiça e abrigados na Casa da Juventude, todos os exames médicos e laboratoriais necessários foram realizados pelos profissionais de Saúde voluntariados e cedidos pela Prefeitura de Barra do Piraí. “Foram contratados mais dois funcionários somente para cuidar deles”, encerrou.

Quem quiser ser um doador ou voluntário na Casa da Juventude, vá na instituição e conheça seu funcionamento, sua estrutura e sua administração.
Seria muito interessante também, que os governos estadual e federal não deixassem somente para a Prefeitura de Barra do Piraí, a incumbência de cuidar, volto a repetir, das crianças que a sociedade teima em não enxergar.

PARTE DA ESTRUTURA DA CAJU
Refeitório
Quadra de Esportes
O prédio na Avenida Cecília

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Suplente de vereadora do PRB mente descaradamente no A VOZ DO POVO


Este trecho foi extraído da entrevista da suplente de vereadora do PRB de Barra do Piraí, Alexandra Oliveira, ao jornal A VOZ DO POVO. Leiam a entrevista completa no final dessa matéria.

Amigos leitores, a última coisa que eu queria era transformar meu blog numa espécie de “futricas da candinha”. Mas, infelizmente para mim e certamente também para vocês, desde o início de 2012 eu venho sendo contatado pela suplente de vereadora do Partido Republicano Brasileiro (PRB) de Barra do Piraí, Alexandra Oliveira, que, na qualidade de amiga virtual no site de relacionamentos Facebook, vem fazendo denúncias após denúncias e me pedindo publicações após publicações, até que ontem (22 de Janeiro de 2013), lendo seus relatos sobre um “golpe” que alegava ter sofrido, resolvi dar ouvidos à ela levando suas informações sobre a comissão organizadora da passeata gay que será realizada no próximo domingo (26/01) no Centro da cidade, a vocês, leitores do blog.
Logo após a publicação a suplente de vereadora Alexandra Oliveira, procurou o jornal A VOZ DO POVO, desmentiu todas as informações publicadas pelo Blog do Jeff Castro, prometendo, também, que vai dar queixa, não se sabe bem aonde, pode ser que seja no Ibama, sei lá.
Leiam a conversa entre eu e Alexandra que originou o post neste blog com o título “Golpe cor de rosa na organização da passeata da diversidade em Barra do Piraí” e percebam quem é a suplente de vereadora do PRB em Barra do Piraí.


CONHEÇAM MAIS DENÚNCIAS DE ALEXANDRA

A suplente de vereadora do PRB, Alexandra Oliveira, contatou meu site de relacionamentos em março de 2012. Nessa época seu interesse era a causa dos camelôs transferidos para o mercado municipal e uma tentativa de conseguir meu apoio ao projeto da passeata da diversidade, que à época vivia no plenário da Câmara de Vereadores uma espécie de disputa com o projeto da caminhada da família. Não atendi seu pedido porque a bem da verdade eu sou contra os dois projetos, ou favorável aos dois, até porque eu penso que não serão projetos aprovados pela Câmara que conscientizarão o povo sobre a importância da diversidade e da família.
Em abril Alexandra novamente fez contato me pedindo que fosse até sua casa para ajudá-la numa entrevista que ela concederia ao O GLOBO sobre o preconceito e a discriminação em Barra do Piraí. Pedi que ela fizesse contato telefônico quando a reportagem de O GLOBO chegasse e até hoje aguardo a ligação.
No dia 24 de abril novamente a suplente de vereadora do PRB fez contato via site de relacionamentos para me dizer que estava com o responsável pelo trio elétrico da passeata da diversidade, segundo ela, de nome Enéas, e que o mesmo tinha revelado a diária do veículo no valor de R$ 5 mil com suspeitas de pedido de nota fiscal acima do valor cobrado. Eu aguardei o contato com o cidadão citado por ela e até hoje eu estou aqui sentado.
Abaixo a conversa entre eu e a suplente de vereadora do PRB de Barra do Piraí.


No dia 8 de outubro de 2012, um dia após as eleições, Alexandra, que não tinha sido eleita vereadora, fez contato para me revelar uma “caixotada” que tinha levado na cabeça durante a briga que aconteceu no último comício de Mário Esteves. Também não fiz menção ao caso à época.

Um dia depois, outro contato, dessa vez para relatar desavença entre ela e uma assessora de campanha. Mais uma vez eu fiz ouvido de mercador.
Segui sendo gentil com Alexandra. Fazendo vistas grossas até como forma de preserva-la eu passava por cima de casos sem relevância, como no dia 11 de outubro, quando a suplente de vereadora do PRB relatou uma espécie de disputa pela causa gay entre ela e o vereador Pedrinho ADL, que segundo Alexandra teria destratado um gay porque ele era seu eleitor.
Vejam como o nível vai baixando a cada revelação.

Agora, a coisa complicou muito, até porque, se existe alguém que pode se queixar, esse alguém sou eu, que não estou aqui para desmentido por uma política pouco ilustrada, incapaz de se lembrar daquilo que escreve.
No último episódio desse malfadado contato, meu nome foi parar numa matéria de um jornal, que, ao que parece, tem como finalidade aprender a fazer jornalismo comigo.
Leiam mais esse sofrimento é a entrevista de Alexandra ao A VOZ DO POVO e por favor me perdoem por ter levado algo de tão baixo nível a vocês, meus estimados leitores.


Agora eu pergunto: quem mentiu?

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Reincidências desmascaram alegações de ignorância a lei de adoção no país.


Ao que parece a ignorância as leis de adoção e o “amor” ao próximo são posturas reincidentes ao vereador Pedrinho ADL (PRB) e conselheiro tutelar Arnaldo Feijó. No relatório do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Barra do Piraí (CMDCA/BP) encaminhado a Câmara de Vereadores, Secretaria Municipal de Assistência Social e Ministério Público, está escrito que Pedrinho ADL esteve envolvido em caso semelhante.
Segundo a mesma fonte que me relatou o lamentável episodio sobre a adoção em dezembro do ano passado, cerca de 6 meses antes, portanto, em período pré-eleitoral, o vereador Pedrinho ADL, o conselheiro tutelar Arnaldo Feijó e também o mesmo casal que reside em Santa Rita de Jacutinga (MG), supostamente, estiveram também envolvidos em mais um caso de fraude ao sistema de adoção de crianças.
Segundo a fonte o Ministério Público teria acionado a Justiça também neste primeiro caso encaminhando a criança para a Casa da Juventude, jogando ao chão as alegações de ignorância ao sistema brasileiro de adoção, que foram reveladas pelo A VOZ DO POVO como justificativas apresentadas pelo vereador Pedrinho ADL e conselheiro tutelar Arnaldo Feijó ao jornal.
Também existem suspeitas de que Pedrinho ADL teria dado assistência em procedimentos médicos no primeiro caso.
Seria muito interessante se os “jornalistas” do A VOZ DO POVO fizessem novas entrevistas com Pedrinho ADL e Arnaldo Feijó revelando e logicamente tentando justificar o primeiro caso de suposta fraude de adoção de crianças em Barra do Piraí.

Pedrinho ADL e Arnaldo Feijó assumem suas ignorâncias publicamente



O vereador e agora ignorante confesso, Pedro Fernando de Souza, conhecido pelo vulgo de Pedrinho ADL (PRB), em sofrível entrevista ao jornal A VOZ DO POVO, revelou, que, supostamente, cometeu crime de fraude em adoção de crianças por amor. “Agi por amor, por achar que estava fazendo um bem à mãe, que dizia não ter condições de criar o neném e batia o pé que não o queria; ao casal, que afirmava que o bebê seria um presente na vida deles; e, acima de tudo, à criança, que poderia ficar ao relento”, disse Pedrinho ADL ao A VOZ DO POVO.
Sobre mim e minha matéria de 15 de janeiro neste Blog com o título “Vereador Pedrinho ADL e conselheiro tutelar Arnaldo Feijó são suspeitos de fraude em adoção de criança em Barra do Piraí”, o edil ignorante disse: “Os meu quase 2,1 mil votos de credibilidade estão doendo muito nos adversários, que ficam com dor de cotovelo. São pessoas que significam um câncer para Barra do Piraí, não edificam ninguém e ainda fazem mau uso da imprensa, tentando deturpar imagens, vez que a imagem deles não é significativa para o povo. Se assim o fosse, eles não precisariam perder tempo levantando falsas acusações contra mim ou quem quer que seja”.

Pedrinho ADL não respondeu sobre os R$ 30 que a mãe disse ter recebido dele
Na entrevista mambembe onde os “jornalistas” do A VOZ DO POVO tentam defender o vereador do partido que sustenta financeiramente o semanário, nenhuma menção aos R$ 30 que a mãe da criança, afirmou em suas declarações ao Centro de Referência Especializado de Assistência Social de Barra do Piraí (CREAS/BP) ter recebido de Pedrinho ADL no dia em que entregou seu filho ao casal indicado pelo próprio vereador para adoção sem o conhecimento da Justiça da Infância e da Juventude de Barra do Piraí. Segundo minha fonte existem suspeitas de que Pedrinho ADL, que se sustenta politicamente praticando diuturnamente o assistencialismo em seu gabinete na Câmara de Vereadores, custeou procedimentos médicos e doou cestas básicas à mãe desde o sexto mês de gestação. A mãe já entregou a guarda de dois filhos ao padrasto, que reside no bairro Santo Antônio, conhecido como curral eleitoral do vereador.
Na entrevista circense Pedrinho ADL afirma que teve contato com a mãe no dia em que ela foi levada ao seu gabinete pelo conselheiro tutelar Arnaldo Feijó, expulso do conselho e que, na mesma página onde foi publicada a entrevista do ignorante vereador Pedrinho ADL, também se confessa ignorante trazendo para si a responsabilidade pelo suposto crime de fraude em doação de criança praticado em Barra do Piraí.

Atuação do MP é interpretada pelos “jornalistas” do A VOZ DO POVO
A VOZ DO POVO tenta antecipar também a decisão do Ministério Público no caso informando que a promotora Patrícia Vianna Vieira afirma que a mãe da criança “esclareceu com riqueza de detalhes como nasceu seu desejo de entregar seu filho para doação”, classificando a conduta como “entrega irregular de criança”, que para os “jornalistas” serve como prova cabal da inexistência de fraude no caso.
A dissimulação dos “jornalistas” e envolvidos no caso é tão acentuada, que, enquanto o “conselheiro” Arnaldo Feijó segue a mesma linha do vereador também alegando amor no caso: “eu me deixei levar pela emoção, porque fiquei muito comovido com a possibilidade de pegar um bebê com apenas quatro dias de vida e ter que coloca-lo na Casa da Juventude”; os jornalistas grifam “onde, aliás, o neném vive hoje, depois de ser recolhido pela Justiça”, nesse caso, colocando a própria Justiça em situação delicada, já que o grifo sugere claramente que a decisão da Justiça é desumana e equivocada.

“Ninguém pode alegar desconhecimento da lei com a finalidade de descumpri-la, previsto art. 3º da Lei de Introdução ao Código Civil. É o princípio da inescusabilidade da ignorância da lei. A publicação da lei no órgão oficial é suficiente para produzir o efeito de torná-la obrigatória para toda a sociedade, presumindo-se o seu conhecimento por todos, ao menos potencialmente.”

É uma vergonha utilizar as dependências da Câmara de Vereadores de Barra do Piraí para uma prática tão monstruosa contra uma mãe e uma criança com quatro dias de vida.
Eu acredito no Ministério Público e na Justiça e não acredito que as leis brasileiras só são aplicadas contra os menos favorecidos.

LEIAM AS ENTREVISTAS DO A VOZ DO POVO COM O VEREADOR PEDRINHO ADL E CONSELHEIRO TUTELAR ARNALDO FEIJÓ.

Como em nenhum momento eu citei a palavra "tráfico" e muito menos acusei o vereador Pedrinho ADL de tráfico de crianças em meu Blog do Jeff Castro, a manchete do A VOZ DA CIDADE soa como “consciência” pesada, se é que alguém deles sabe o que é consciência.

A entrevista mambembe com os ignorantes

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Ex-prefeito acusa atual presidente da Câmara de mandar distribuir cópias de documento com sua assinatura falsificada

Presidente da Câmara de Vereadores, Pastor Monteiro (PRB)


A Promotoria Pública de Barra do Piraí recebeu no final do ano passado a denúncia de suposta falsificação de assinatura do ex-prefeito Zé Luiz Anchite. O MP está investigando uma cópia do documento que estava sendo distribuído em residências de vários bairros informando que através da indicação 875/2010 o vereador Pastor Monteiro (PRB) tinha solicitado a instalação e construção da rede de água potável para a Avenida Miguel Couto Filho, no trecho entre os bairros do Maracanã e Roseira.
O ex-prefeito Zé Luiz afirmou no MP que o documento não é verdadeiro e que o atual presidente da Câmara de Vereadores usou indevidamente o papel timbrado do Gabinete do Prefeito falsificando sua própria assinatura para transmitir ao povo uma mentira.
O morador da Avenida Paulo Fernandes, na Muqueca, de nome Luiz Antônio, disse ao Blog do Jeff Castro, que o documento lhe foi entregue por um rapaz chamado Elcio, que o pediu para transmitir a informação aos moradores do bairro. “Eu recebi e não transmiti nenhuma informação a ninguém. Apenas recebi o documento das mãos de Elcio”, disse pelo telefone Luiz Antônio.
Ouvido pelo Blog o assessor do vereador Pastor Monteiro, que se chama Elcío Rogério, revelou. “Fui eu mesmo quem entregou o documento ao rapaz que você citou”. Quando perguntado sobre a autenticidade do documento, o assessor disse que o mesmo lhe foi entregue pelo prefeito Zé Luiz. “O prefeito Zé Luiz entregou o documento para mim e para o Pastor Monteiro, que posteriormente autorizou sua distribuição”, encerrou.
Pelo telefone o Pastor Monteiro confirmou que o documento lhe foi entregue pelo prefeito Zé Luiz quando ele ainda fazia parte da bancada de apoio ao Executivo na Câmara de Vereadores.
O ex-prefeito Zé Luiz afirma que sua assinatura foi falsificada no documento, segundo Zé Luiz, montado de forma grosseira em papel timbrado de seu Gabinete.
Barra do Piraí entra em 2013 com dois vereadores do PRB sendo investigados pelo MP. O presidente da Câmara, Pastor Monteiro de Jesus, por distribuição de documento público com suposta falsificação da assinatura do ex-prefeito, e Pedrinho ADL, pelo suposto envolvimento em tráfico de criança para a cidade de Santa Rita de Jacutinga, em Minas Gerais.
O jeito vai ser colocar grades ao redor da Câmara de Vereadores.

Veja abaixo o documento que faz parte do inquérito civil aberto pelo Ministério Público


terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Vereador Pedrinho ADL e conselheiro tutelar Arnaldo Feijó são suspeitos de fraude em adoção de criança em Barra do Piraí



No dia 05 de dezembro de 2012 a senhora XXXXXXX XXXXXX XXXXXXXXX procurou o Centro de Referência Especializado da Assistência Social de Barra do Piraí (CREAS/BP) para pedir seu filho de volta, XXXXXX XXXXXXXX, nascido em 28 de novembro de 2012 no município. Segundo relatos de XXXXX, após uma desavença com o suposto pai de primeiro nome Alecsando, que exigiu exame de dna para registrar a criança em seu nome, ela procurou o conselheiro tutelar Arnaldo Feijó, que pediu que ela comparecesse a sede do Conselho Tutelar de Barra do Piraí. Na sede e em companhia do conselheiro Feijó, a mãe conta que um telefonema para o vereador Pedro Fernando de Souza Alves, o Pedrinho ADL (PRB), a levou até a Câmara de Vereadores. No gabinete de Pedrinho ADL a mãe XXXXXXX ficou sabendo que ele já possuía um casal para adotar a criança, Rosilene e Joaquim Carlos, que residem em Santa Rita de Jacutinga (MG). Segundo consta nos relatos ao CREAS/BP, o vereador Pedrinho ADL e uma assessora de nome Cláudia, teriam instruído a mãe da criança a escrever e assinar uma declaração manifestando o interesse em entregar seu filho para a adoção do casal.
XXXXXXXX contou que seu filho tinha sido levado para Santa Rita de Jacutinha no dia anterior (04 de dezembro), sem que ela soubesse o endereço do casal. Indagada se houve pagamento pela adoção, a mãe disse que não, apesar de ter recebido R$ 30 do vereador Pedrinho ADL para comprar uma cinta que necessitava por recomendação médica.

A COMUNICAÇÃO DA MÃE AO CREAS



Em 19 de dezembro o Conselho Tutelar de Barra do Piraí fez reunião para avaliar a questão que já tinha sido levada ao Ministério Público pela mãe da criança no dia 12 de dezembro. Segundo relatado na ata de reunião, o conselheiro Feijó ficou surpreso e disse que desconhecia a gravidade do assunto, pedindo desculpas revelou que não comentou com ninguém do conselho sobre o assunto e que não tinha a intenção de prejudicar ninguém.
Os conselheiros enviaram ofícios ao MP, Câmara de Vereadores e Secretaria Municipal de Assistência Social informando a gravidade da conduta que afastava imediatamente o conselheiro Feijó do cargo.
Na apuração o conselheiro Feijó disse que após deixar a mãe no gabinete do vereador Pedrinho ADL não teve mais contato com ela e que estava ciente de que tinha agido de forma errada, já que sua obrigação funcional seria encaminhar a mãe e a criança para a Justiça da Infância e da Juventude de Barra do Piraí.
Na decisão de afastar o conselheiro Feijó o presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA) revelou que o vereador Pedrinho ADL já esteve envolvido em suposta fraude no sistema de adoção e que a criança desse outro caso encontra-se ainda acolhida na Casa da Juventude em Barra do Piraí.
Estatuto da Criança e do Adolescente – Artigo 13 – As gestantes ou mães que manifestem interesse em entregar seus filhos para adoção, serão obrigatoriamente encaminhadas a Justiça da Infância e da Juventude.
A Câmara de Vereadores já tem muito trabalho após sua instalação. Abrir um processo para apurar o caso e se confirmado cassar o mandato do vereador Pedrinho ADL, o mais votado em outubro do ano passado.
É muito mais que uma vergonha. É um crime contra o povo brasileiro!

Como o conselheiro tutelar Arnaldo Feijó confirmou em depoimento sua participação, foi desnecessário ouvi-lo. Já o vereador Pedrinho ADL não atendeu minhas ligações  e eu deixei mensagem em sua caixa de entrada do telefone celular.

Todos os citados podem e devem se manifestar no Blog do Jeff Castro se assim acharem necessário.

OS DOCUMENTOS CONSEGUIDOS COM EXCLUSIVIDADE PELO BLOG DO JEFF CASTRO